Quando uma empresa nasce, ela precisa de uma identidade para ser reconhecida no mercado. É através dessa representação que os consumidores reconhecem determinado produto em meio a tantas opções disponíveis. Ter uma marca significa se destacar e, porque não dizer, atrair os consumidores.

O registro de marca é uma proteção concedida pelo Governo Federal, por meio do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), e garante à empresa a exclusividade sobre o uso de um determinado nome em todo território nacional. Na área de atividade em que atua, o proprietário da marca consolida todo investimento financeiro realizado na propaganda e marketing, e também pode impedir que terceiros utilizem identificação semelhante, confundindo seus clientes. Além disto, ganha a possibilidade de licenciamento da marca para franquear em diversas partes do Brasil e exterior.

Por isso, os empreendedores devem ficar atentos ao registro de marcas, que se não for feito, pode trazer inúmeros prejuízos para a empresa. É o que explica Arimatéia Quinto, sócio-proprietário da Companha das Marcas, assessoria especializada em Propriedade Intelectual.

“Quando uma empresa não tem marca registrada, sua identidade diante do mercado está ameaçada, pois caso outra reivindique a exclusividade, o empresário terá enorme prejuízo financeiro. A mudança de nome pode provocar afastamento dos clientes, perda de credibilidade, além de cessar imediatamente o uso da marca em toda comunicação da empresa. Em suma, sem o registro de marca a empresa não possui identidade”, conta.

Arimatéia Quinto destaca que o processo para registrar uma marca leva, em média, oito meses e segue algumas etapas importantes. Todos os procedimentos técnicos devem ser realizados no tempo certo perante o INPI, para que a concessão ocorra de modo eficaz. Entretanto, para quem tem dificuldades em realizar estes procedimentos, a recomendação é buscar uma empresa qualificada.   

“É necessário conhecer todos os requisitos e procedimentos para conseguir realizar o acompanhamento correto do pedido de registro. Por isso, a contratação de uma empresa especializada por parte do empresário torna o processo mais eficiente e com menos riscos de sofrer exigências do INPI, ou mesmo ser extinto ou arquivado”, comenta Quinto.

Em seis anos, a Companhia das Marcas já realizou mais de 200 registros de marcas concedidos pelo INPI. A projeção, até o final de 2021, é alcançar um total de 300 marcas registradas pela assessoria, consolidando a empresa como pioneira no Piauí em expertise e capacidade técnica na área da Propriedade Intelectual, e uma das empresas de destaque a nível Norte-Nordeste.

Companha das Marcas: pioneira no mercado

Primeira empresa do Piauí especializada em assessoria de Propriedade Intelectual, a Companhia das Marcas atua na área do conhecimento desde 2014 com processo de proteção das criações humanas, como marcas, patentes, software e direitos autorais. A empresa conta com uma equipe técnica capacitada e qualificada, oferecendo uma experiência de prestação de serviços eficiente, técnica, responsável e segura.

A Companha das Marcas foi fundada pela contadora Maria Rebello e pelo publicitário Arimatéia Quinto. Os sócios atuaram como Agentes Locais de Inovação (ALI), programa de inovação do CNPq em parceria com o Sebrae. Atualmente, Arimatéia Quinto faz mestrado profissional em Propriedade Intelectual pela UFPI, e Maria Rebello recebeu o título de mestre nesta área na última quarta-feira (16).

“Após dois anos convivendo diariamente com empresários de cerca de 120 micro e pequenas empresas em Teresina, identificamos uma necessidade que se transformou em oportunidade. A grande maioria dos empreendedores não tem ideia de como registrar a marca, patente, software e direitos autorais, e, como a maior parte dos escritórios dessa área atua no Sul e Sudeste, desejamos criar uma assessoria regional, que falasse a ‘língua do Piauí’”, disse Arimatéia Quinto

Leave a Reply