Alessandro Diniz – publicitário piauiense com vasta experiência na área de comunicação das marcas.

Abrir uma empresa requer cuidado em cada detalhe, não somente na parte física, administrativa ou com os produtos e/ou serviços ofertados. É preciso pensar na porta de entrada: a marca. O nome, o logotipo, o posicionamento de mercado, as estratégias de comunicação e tantos outros pontos precisam ser alinhados antes de colocar a empresa em um mercado tão competitivo.

Por isso, sentar com um bom profissional e ter o suporte de uma equipe qualificada é o primeiro passo para definir um planejamento que atenda às expectativas de negócios da empresa. São eles que vão criar marcas e produtos que irão encantar os olhos do público. O publicitário Alessandro Diniz explica que esse processo visa aproximar a marca do consumidor, de forma a consolidá-la entre os principais nomes.

“O que percebemos é que a profissionalização tem que partir do próprio profissional. No Piauí, as marcas se preocupavam apenas na “beleza” do logotipo, mas não procuravam uma estrutura profissional para criá-la e posicioná-la corretamente no mercado. O design de uma marca precisa ser muito bem trabalhado e pensado por uma equipe, onde é feito todo o seu desenvolvimento para o mercado, do naming ao posicionamento. Quando o empresário chega com a ideia, você tem que tirar do papel de forma profissional e posicioná-la da melhor forma”, explica.

Ao escolher o nome da empresa, lembre-se de registrá-la junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), garantindo que essa marca não será utilizada por terceiros. Agora, é hora de colocar as mãos na massa. Todos os profissionais irão alinhar suas ideias para construir um briefing de como o cliente deverá atuar no mercado. Isso requer muita conversa e diversas estratégias.

“A gente vai trabalhar a estrutura de comunicação mais eficiente para ele, como mídias, campanhas fora do digital e outros processos. Se você não faz essas assinaturas de forma eficiente, a marca vai perdendo força ao longo do tempo. A marca precisa ir entrando no subconsciente das pessoas de tanto que ela é apresentada, seja pela sua forma, assinatura, nas campanhas, estrutura de conteúdo, e isso vai além do logo”, enfatiza Alessandro Diniz.

Reposicionamento da marca

Diferente do que muitos pensam, que não se pode mexer em uma marca que atua há muitos anos no mercado, o publicitário Alessandro Diniz garante que, sim, é possível posicioná-la ou reconstruí-la sem perder a identidade e a credibilidade conquistada ao longo de sua jornada. O profissional comenta que esse passo é muito importante, uma vez que o mercado está em constante mudança e é preciso se modernizar e evoluir.

“O mercado é muito competitivo, então essa empresa precisa ser profissional desde o início, mostrando ao cliente o que ela quer em seu posicionamento. A empresa precisa ter um foco, conteúdo, e os profissionais transformam esse conteúdo em uma linguagem visual para que o público-alvo identifique aquela marca de uma maneira eficiente, principalmente hoje com as redes sociais. Ela precisa saber o que vai mostrar para o público”, acrescenta.

E essa necessidade de mudança e evolução, muitas vezes, pode ser vista ou sentida pelo próprio empresário ou pela equipe que acompanha essa empresa, como o departamento de marketing ou a agência que gerencia a comunicação desta marca. Porém, estudar o mercado e compreender as tendências é a maneira mais eficaz de conseguir bons resultados.

E o reposicionamento de uma empresa começa por um importante passo: “às vezes, precisamos eliminar alguns elementos que poluem a marca, deixá-la mais simples. Muita gente acha que a simplicidade é fácil. Muitas vezes ela [logo] não precisa ter um ícone, mas isso precisa ser conversado com os profissionais, para fazer um processo de logotipia eficiente. Fazer o redesign de uma marca é delicado, pois é o filho daquele empresário, por isso o dono precisa participar desse processo, porque é ele que está vivendo sua empresa”, complementa o publicitário Alessandro Diniz.

Leave a Reply